Publicados na categoria Firenze a porta da Toscana

Firenze beleza e arte na Toscana

quinta-feira, maio 22nd, 2014

Ainda que os etruscos tenham ocupado durante muitos séculos as colinas em volta de Fiesole, foram os romanos que fundaram Florença ou Firenze no século 59 a.C. No  século XIII a indústria têxtil e o comércio, apoiados num sólido sistema bancário fizeram de Firenze uma das grandes potências italianas. A família mais influente deste período eram os Médicis, uma dinastia de banqueiros muito ricos.  Esse domínio vai se estender até meados de 1737 e será sob essa dinastia, que grandes artistas da Renascença Italiana terão o necessário apoio para criar as maravilhas arquitetônicas e artísticas desse período. Michelangelo foi um desses artistas.

Há muito para se ver em Firenze. É preciso selecionar o que é imperdível se não tivermos muito tempo. Esta seleção é muito pessoal mas espero que agrade a maioria.

A Piazza della Signoria: coração da vida social e política florentina até hoje.  O Palazzo Vecchio, é uma obra imponente e visitar o seu interior é emocionante e vale a pena! O ambiente fica mais especial ainda por causa das esculturas romanas e das réplicas em frente ao Palazzo.  Lógico que o destaque é a réplica do incomparável David que é excepcional e considerada uma das mais belas esculturas do mundo. 

Eu adoro essa obra de Jean de Bologne –  Rapto das Sabinas (1583), principalmente quando sabemos que o artista, a exemplo de Michelangelo quando criou David,  usou um bloco de mármore defeituoso.

No pátio interno do Palazzo Vecchio observe a fonte, com a cópia do bronze de Verrochio.

A sala principal foi palco da histórica disputa de Michelangelo e Leonardo Da Vinci. Eles foram encarregados de pintar cada um uma parede. Finalmente a obra de ambos ficou apenas nos desenhos por razões diversas e foi Giorgio Vasari que, muitos anos depois,  acabou pintando ambas as paredes. Diz a lenda que a parede que Leonardo Da Vinci pintou com a Batalha de Anghiari  era tão maravilhosa que Vasari não teve coragem de destruir o que sobrou dela. Ele teria preservado a pintura entre duas placas de madeira, cobertas de cimento. Essa teoria é enfatizada por uma frase intrigante que Vasari deixou em um dos quadros: Cerca e trova ( procure e ache). Muitas tentativas já foram feitas para conseguir desvendar esse  mistério mas por enquanto nada foi provado pois a curiosidade esbarra no risco de destruir a obra atual. Só o tempo dirá! Abaixo copia do desenho deixado por Da Vinci. De fato, se tivesse sido concluída, provavelmente seria mais uma obra prima de Da Vinci.

Outro tesouro é a Ponte Vecchio. Literalmente já que é nela que está o maior comércio de jóias da cidade.  Construída em 1345 a partir de um desenho de um aluno de Giotto, Taddeo Gaddi, é o reduto dos joalheiros e aqui as pedras preciosas, os Muranos e brilhantes são lindos. Embora muito caros! Os Médicis, a família mais poderosa de Firenze, por questões de segurança, queriam atravessar de um castelo para outro e o arquiteto, pintor e escritor, Giorgio Vasari, construiu uma espécie de corredor sobre a ponte. Uma maravilha até hoje.

 

Galleria dell’ Accademia – É a academia de Belas Artes de Firenze  onde está uma das mais importantes obras de Michelangelo: David. A força dessa escultura emana e invade todo o espaço em que está e até dá vontade de tocar as veias que parecem saltar dos braços desse colosso. Surpreende ainda mais saber que foi realizado a partir de um bloco de mármore defeituoso. A obra teve o efeito de celebrar o triunfo da República sobre a tirania, atribuída pelo povo, aos Médicis e aos outros ricos da cidade. Mas, a Galleria tem muito mais para se admirar: a sala de esculturas grego-romanas e os quadros de Ghirlandaio, Boticelli, Filippino Lippi, entre outros.

Galeria degli Uffizi – concebida e iniciada com parte da coleção do rei francês, que invadiu a Itália, François I, esta galeria possui um dos maiores acervos de pinturas do Renascentismo e como os maiores pintores da Europa trabalhavam para os Médicis, você poderá apreciar obras de Giotto, Leonardo Da Vinci, Caravaggio, Rafael e Fillipo Lippi. Nesta galeria encontra-se uma das mais famosas pinturas de todos os tempos, O nascimento de Vênus de Sandro Botticelli. Em 1737 a última herdeira dos Medicis, Marie-Louise deixou para o povo florentino esse magnífico legado.

O Batistério – Artistas como Donatello e Brunelleschi concorreram com diversos artistas em 1401 para definir quem criaria as obras das portas desse lindo batistério. As Portas do Paraíso, como acabaram sendo chamadas,  são obra do jovem Lorenzo Ghiberti que ganhou o concurso e fez bonito!

O Batistério, para quem não sabe, existe porque era proibido a não batizados entrarem na igreja, e muitos adultos se convertiam, além das crianças, então precisavam ser batizados fora, para só depois entrar na igreja.

Nada é mais importante que a Duomo! A cúpula de Brunelleschi foi a maior de seu tempo (1463), com 463 degraus para se chegar ao topo. A vista é espetacular. Os afrescos do Julgamento Final são impressionantes bem como o altar. Esta é a quarta maior igreja da Europa em dimensões.

 

O Campanário era separado das igrejas e era onde se tocava o sino. Essa é uma obra maravilhosa, projetada por Giotto e realizada em mármore branco, verde e rosa, foi iniciado em 1334 com o próprio Giotto e só foi finalizado em 1359, 22 anos apos a morte do mestre.

Pallazzo Pitti – a construção é atribuída a Brunelleschi e começou em 1457, encomendado por um banqueiro muito rico, Luca Pitti. Ele queria um Palazzo que se rivalizasse com a família concorrente em riqueza e poder,  os Medicis. Por ironia, não conseguiu terminar a obra e com sua morte, os herdeiros arruinados venderam para os…Médicis. As salas são repletas de obras de arte do tesouro das famílias. Se você só tiver tempo para uma parte, visite a Galleria Palatina, que é a mais importante, com quadros dos grandes Botticelli, Veronese, Titien e outros mestres.

O jardim do Palácio Pitti já é uma obra de arte em si. Chama-se Jardim de Boboli e você deve comprar o ingresso para o Palácio e o jardim. Típico jardim italiano é considerado um dos mais bonitos do mundo, com esculturas espalhadas ao longo de alamedas, fontes e pequenos jardins quase que isolados dentro do imenso espaço. Por causa dessa configuração, nos dá a sensação de privacidade e é comum os italianos ficarem esticados ao sol, lendo ou conversando. Vestidos é claro!

 

Visite a gruta do Jardim. Logo na entrada à esquerda. Observe os horários em que abrem as portas e adentre a esse lugar mágico.

Réplicas das obras inacabadas, da velhice de Michelangelo, retratam o homem tentando se soltar da pedra, representando as emoções humanas.

Nenhuma vista é mais bonita do que a que oferece a Piazzale Michelangelo. Decorada com cópias das esculturas do artista, a esplanada atrai muitos turistas que chegam em inúmeros ônibus mas ainda assim, vale visitar porque é inesquecível olhar Firenze deste ângulo.

Firenze tem muitas outras maravilhas mas quero deixar um pouco do mistério para vocês descobrirem nesta cidade tão plena de cultura, de história, de um povo alegre que fica conversando animado nos bares das praças. Firenze é linda e é a porta desta maravilhosa região de sonho, a Toscana. Visite pela primeira vez ou volte: sempre vai valer a pena!