Genius – O mestre dos gênios

genius-_-poster

GeniusO mestre dos gênios foi exibido como destaque no Festival de Berlim deste ano. Baseado na biografia de Max Perkins: Editor of Genius, o filme retrata a história real do editor que, na década de vinte, acreditou em jovens talentos e foi responsável pela publicação de autores maravilhosos como Ernest Hemingway e F. Scott Fitzgerald.

genius-_hemingway

genius_fiztgerald

Colin Firth é o editor e está muito bem, como sempre. Interpretação impecável, na medida certa. Em sua profissão ele é obrigado a sugerir cortes e alterações a seus escritores, sempre com o olhar no público que vai comprar.

Com chegada de um rascunho enorme, ele mergulha na beleza da prosa poética de Thomas Wolf. Era o primeiro romance do autor, Look Homeward Angel.genius_editor

genis_colin-firth-e-thomas-wolfe

Escritor prolixo, Wolf reluta em cortar seu romance e, para complicar, leva uma vida desregrada, quando comparada à de Perkins, que tem uma vida pacata com a esposa e quatro filhas.genius-thomas-wolfe_boate

Em meio a esse caos interno, bebidas, escritos, noitadas, Wolf vive uma relação tumultuosa com uma mulher que abandonou a família para ficar com ele (Nicole Kidman).genius_nicole-e-jude-low

Apesar das dificuldades, o trabalho de ambos acaba se tornando uma amizade e Perkins começa projetar em Wolf (Jude Law, ótimo),  o filho que ele sempre quis e não conseguiu ter.

Para quem gosta de literatura, a história absorvente entre esse editor e o escritor Thomas Wolf, é uma ótima indicação. O filme nos leva a um universo literário muito interessante, numa New York perfeitamente recriada no período negro de 1929, no universo dos depois chamados “Geração Perdida” que inspirou inúmeros escritores, entre eles William Faulkner.

Assista o filme! Ele fará você ter vontade de ler, ou reler, os autores!

Wallander – ótima série na NetFlix

Wallander - Poster inicio

Wallander é uma série britânica premiadíssima. Ganhou BAFTA de 2009 entre outros outros tantos prêmios ao longo do lançamento de suas temporadas, incluindo melhor série dramática da Academy Television Awards de 2015. 

O drama gira em torno do detetive Kurt Wallander, vivido pelo excepcional ator e diretor de cinema e teatro, Kenneth Branagh.

Kenneth Branath

A produção é impecável. Afinal é da BBC de Londres! Baseia-se nos romances de Henning Mankel que venderam mais de 25 milhões de livros.

Henning Mankell_Wallander

Cada episódio é autônomo e prende a atenção do início ao fim. São cenas chocantes, assassinatos quase perfeitos que desafiam o detetive e sua pequena equipe.Wallander_campo de colza

Wallander II

Repare na beleza dos locais, especialmente a pequena cidade portuária sueca, Ystad onde grande parte dos episódios foram filmados.

Wallander_cidadezinha

O mote são as investigações, mas, muitas histórias humanas se desenrolam em especial envolvendo a filha de Wallander e seu pai, um pintor estranho, que pinta sempre as mesmas paisagens e que está começando a sofrer de Alzheimer.

Wallander_parceiro

Wallander pai

A série já acabou e suas quatro temporadas estão no Netflix. Vale muito a pena assistir!

 

Juventudes Roubadas

testament_of_youth_poster

Juventudes Roubadas (Testament Youth) se passa no período da Primeira Grande Guerra (1914 a 1918). O filme é baseado no livro de memórias da britânica Vera Bittain, uma jovem de classe média alta, à frente de seu tempo que luta para que os pais a deixem ir para Universidade de Oxford. O irmão de Vera, Edward, é o seu grade aliado que faz a ponte entre ela e o pai, até conseguir que este concorde que ela preste o exame.

Os dias transcorrem tranquilos naqueles tempos e os amigos do irmão e Vera, se divertem na linda propriedade da família.

juventudes-roubadas_amigos

Dentre os amigos, Roland Leighton (Kit Harington de Game Of Thrones). A estranheza inicial rapidamente dá lugar a uma intensa paixão.juventudes-roubadas-casal

Vera passa nos exames e é aceita em Oxford. Sonha estudar junto com o irmão, seus amigos e Roland, o amor da sua vida. Mas, tudo muda porque a Primeira Grande Guerra eclode e, ironicamente, ela vai sozinha para a Universidade.

Nas licenças de Roland eles se encontram e se escrevem regularmente de maneira apaixonada. Vera manda poemas, pois sonha ser escritora.kit-harington_roland-_juventudes-roubadas

Todos os rapazes são enviados para frente da batalha e Vera decide interromper os estudos para se tornar enfermeira. Ela não consegue se furtar a participar, a ser útil em campos de batalha onde estava o Destacamento de Ajuda Voluntária (Londres e França).juventudes-roubadas_guerra

Os apaixonados decidem casar na próxima licença de Roland, no Natal. A espera é longa e difícil. Assim como a guerra que de início se pensava que seria algo rápido e sem grande intensidade. Ledo engano. Mais de dez milhões morreram e Vera escrevia em seu diário, as duras experiências que vivia, vendo tantas mortes brutais, tantas juventudes roubadas. Seu livro foi publicado em 1933, se tornou bester seller e vende até hoje em diversos países do mundo.

Abaixo a atriz Alicia Vikander (de A garota dinamarquesa e O amante da rainha) e a verdadeira Vera Mary Brittain. 

alicia-vikander_vera-brittain

vera-brittain-1

O filme foi lançado em DVD e está na Netflix. Vale a pena assistir pelo enredo, pelas interpretações, em especial de Alicia, essa surpreendente atriz sueca.

Decisão de Risco – Eye in the sky

Eye in Sky_poster

No ano e no mês que nos lembramos dos quinze anos do ataque às Torres Gêmeas em New York, esse filme nos faz refletir sobre o conceito de moralidade em uma guerra contra o terrorismo. Nos faz pensar em quantos inocentes vêm morrendo em tantos outros ataques pelo mundo, e quantos outros morrem durante a captura desses terroristas.

Coronel Helen Mirren

Helen Mirren é a Coronel Powell, oficial da inteligência militar, que da Inglaterra coordena uma ação especial, de longa preparação e que de repente vai se ver presa em uma armadilha. Os políticos, sentados em uma sala, que acompanham em um computador essa ação, começam a ter medo de aprovar o ataque ao grupo de terroristas, que está em Nairóbi no Quênia. Inocentes serão atingidos.

EYE in Sky_reunião

Junto com esses políticos, lutando para aprovar o ataque está o chefe da Coronel Powell, o general Frank Benson, interpretado por Alan Rickman em seu último papel antes de falecer.

EYE in Sky_alan Rickman 1

Os terroristas estão em uma casa, num bairro populoso, num quarteirão impossível de esvaziar.

EYE in the Sky_homens bomba

Para atacar e capturar os terroristas, um avião drone, posicionado para não ser detectado pelos radares e dirigido remotamente por um piloto nos Estados Unidos. Ou seja, uma operação tão delicada e importante que a Inglaterra estava atuando com os Estados Unidos. O ator que interpretou Jesse em Breaking Bad  (Aaron Paul) é o piloto com toda essa pressão que sabe que não poderá errar.

EYE in Sky_piloto

A dramaticidade fica mais intensa porque instalaram um pequeno besouro robô que consegue capturar as imagens desses terroristas dentro da casa e de repente fica claro que eles estão vestindo coletes com explosivos e que vão sair dali para atacar. Provavelmente um Shopping Center. A tensão é enorme. Agora os políticos precisam autorizar porque é decidir entre dois males um do impacto da vizinhança ao redor da casa e outro um potencial ataque a um Shopping Center. O medo dos políticos é serem culpados das mortes que fatalmente vão acontecer e começa um jogo de empurra. A tensão aumenta a cada momento porque a sargento e o general querem atacar, precisam concluir uma operação que está há muito tempo preparada e pode ser uma oportunidade única.

Então, acontece o ápice da tensão. Quando parece que o impasse será decidido, uma menina que vende pães todos os dias, se senta no centro da operação, para vender seus pães. 

Ai fica muito mais difícil porque as vítimas passam a ter um rosto e é o rosto de criança.

EyeInTheSkyPic#14

Várias manobras para tirá-la de lá começam, mas, o tempo corre e os terroristas dentro da casa se preparam para sair. 

EYE in Sky _ator somali

O piloto recua, quer saber qual a margem de risco dela ser atingida e os políticos se dividem. Só a Sargento mantém a firmeza e destaca a importância de não deixar morrer inúmeros por causa uma menina.

Pura eletricidade na tela que vai fazer você sentar na pontinha do sofá. Vale a pena assistir! 

 

 

 

A vida em um dia | One day in life

Ideia genial!  Uma parceria do YouTube e dos irmãos Ridley e Tony Scott. Numa convocação mundial é lançado o desafio: os internautas precisavam postar imagens de algum momento ocorrido nas 24 horas do dia 24 de julho de 2010.  Além das imagens, deveriam responder a três perguntas simples: o que você ama? O que está no seu bolso? Do que você tem medo? O resultado são números surpreendentes: 80 mil vídeos vindos de 192 países, totalizando 4 500 horas de gravação. A verdadeira missão foi do diretor Kevin Macdonald : escolher entre esses fragmentos e sintetizar tudo em 95 minutos. A escolha passa por um engraxate peruano, um jardineiro em Dubai, um fotógrafo no Afeganistão e gente como a gente. Lindas e belas histórias, outras tristes, como um dia em nossa vida, pleno do bem e do mal, do riso e da tristeza, da alegria e da dor. Enfim, A Vida em um dia é o resultado excepcional de uma ideia brilhante. Veja um pouco das imagens e corra para alugar o filme: todas valem a pena.

O gênio de Vincent Van Gogh

Vincent Van Gogh nasceu em 30 de março em Groot Zundert, na Holanda e morreu em 29 de julho de 1890, em Arles (Auvers-sur-Oise) na França. Em www.wikipedia.com.br a cronologia de sua vida está descrita em detalhes. E aqui não quero falar muito de sua vida atormentada, mas falar um pouco mais de como, através do entendimento do homem, no registro das mais de 800 cartas que deixou, se pode entender a sua obra. A sua pressuposta loucura e depressão estão muito bem contadas no filme de Maurice Pialat – Van Gogh – lançado no Brasil pela Versátil Home Vídeo, que eu tive a alegria de ter traduzido.

Com a morte do pai, em março de 1986, Vincent vai viver em Paris, junto com seu irmão Théo, mais jovem que ele três anos. Os irmãos se pareciam muito fisicamente, mas, eram muito diferentes. A Théo faltava o gênio de Vincent, mas lhe sobrava espírito prático, senso comercial e uma grande facilidade de se relacionar com as pessoas. Théo começou a trabalhar na “Galeria Goupil” e rapidamente assumiu a gerência de uma filial em Montmartre e, cada vez mais, é este irmão que irá apoiar incondicionalmente a Vincent, acreditando desde sempre em seu talento. Théo Van Gogh era vanguardista e foi responsável por exposições de vários artistas impressionistas, embora não tenha conseguido obter sucesso na exposição que realizou para o irmão e nem tampouco, tenha conseguido vender algum dos quadros de Vincent que ele expunha regularmente na galeria.

A esta altura, Vincent havia mudado para algumas cidadezinhas no sul da França, próximas de Paris, em busca de sol e paisagens para suas pinturas. Durante todos estes anos foi Théo quem ajudou Vincent, enviando-lhe o dinheiro necessário para a sobrevivência e a compra de materiais de pintura.

Vincent em um dado momento (1888) pensou em criar uma comunidade de artistas e Paul Gauguin, que ele tinha conhecido através do irmão, foi morar com ele. http://pt.wikipedia.org/wiki/Paul_Gauguin.

É célebre a briga que tiveram e a reação de Vincent, que culpabilizando-se corta a ponta da orelha e a envia, ensanguentada, para Gauguin. O que encerrará para sempre a amizade de ambos e a idéia da comunidade de artistas. A internação de Vincent no sanatório de Saint-Rémy- de-Provence, é decorrência deste acontecimento. Embora hospitalizado, Vincent pinta quadros maravilhosos neste período, dentre eles o sublime Iris.

Johanna Van Gogh-Bonger, nasceu em Amsterdã em 4 de outubro de 1862. Completou os estudos de língua inglesa, se tornou professora e foi para Paris, onde encontrou Théo, ambos se apaixonam e se casam em 1889.

Em várias cartas anteriores ao casamento do irmão, Vincent já mencionava seu desespero e angústia por ser um “peso” para o irmão.

“…eu me sinto triste pois mesmo em caso de sucesso, a pintura não trará o tanto que ela custa… trará prazer à mãe, que seu casamento prospere e sua saúde e seu trabalho. É preciso não ficar só. Eu sinto que passou o desejo de casar e de ter filhos – e existem momentos em que me sinto tão melancólico por me sentir assim, com trinta e cinco anos. E às vezes eu detesto esta pintura suja. Foi Richepin que disse um dia : “  O amor pela arte faz perder o amor de verdade “. Acontece de eu me sentir já velho e machucado mas ainda assim, ainda suficientemente apaixonado demais pela pintura, para não me entusiasmar por ela. Para vencer é preciso ambição e a ambição me parece absurda. Ela resultará não sei em que. O que eu queria, sobretudo, era lhe pesar menos – e isto não será impossível no futuro – porque eu espero progredir de maneira que você possa, sem errar, sem se comprometer, acreditar (…)” 1887

Este sentimento de culpa se amplifica com o casamento do irmão e piora com o nascimento do filho de Théo, que aliás, se chamará Vincent, em homenagem, em vida, ao adorado irmão. Em maio de 1890, por recomendação do irmão Théo, Vincent vai para Auvers-sur-Oise, pois um médico – Dr. Gachet – havia sido indicado como excelente para o tratamento das alucinações e depressões de Vincent. Lá chegando, Vincent aluga um quarto em uma hospedaria “ l’auberge Ravoux”. Muitos quadros e muita angústia o levam a dar um tiro no peito em 27 de julho deste ano. Gravemente ferido e desenganado por dois médicos ele, a cada momento mais fraco, espera a chegada do irmão Théo. Quando este chega, passa toda a noite velando por ele e é segurando sua mão que Vincent morre em 29 de julho de 1890.

Vincent é enterrado em Arles, Auvers-sur-Oise e seis meses depois, em 25 de janeiro de 1891, com 34 anos, Théodore Van Gogh morre, louco, vítima de sífilis (ou de tristeza). Enterrado em Paris, algum tempo depois, seu corpo é transportado sob as ordens de Johanna, para ser enterrado ao lado do irmão Vincent. Dizem que ela mandou plantar girassóis ao lado da tumba de Vincent e quando o sol se recolhe, eles se curvam sob a lápide de Théo. Quando visitei a tumba, eles estavam lá…

E foi Johanna (Jo) van Gogh-Bonger, a cunhada de Vincent, a grande responsável pela organização e manutenção das aproximadamente 700 cartas que Vincent escreveu para Théo, além de seus outros pertences e quadros. É a ela que se deve a tradução para o inglês destas cartas, além da primeira exposição com 473 quadros de Vincent Van Gogh no Museu Municipal de Amsterdã, realizada em julho-agosto de 1905. Duas mil pessoas acorreram para vê-la. Ainda riram das telas dele. O que não evitou que o seu nome começasse a ser pronunciado de boca em boca como um fenômeno das artes holandesas, um dos gênios do mundo de hoje. Johanna escreveu também uma biografia sobre Vincent e a continuidade da preservação de sua obra foi feita por seu filho, Vincent.

A L&PM lançou a biografia no Brasil e assim escreveu a sinopse:

Biografia de Vincent Van Gogh por sua cunhada

Jo Van Gogh-Bonger (tradução de William Lagos)

Reconhecido após a sua morte como um dos mais importantes pintores de todos os tempos, Vincent van Gogh teve uma vida sombria, perpassada por crises de loucura e depressão. Este volume contém a preciosa biografia escrita pela cunhada Jo van Gogh-Bonger, mulher de Théo, as cartas de Théo ao pintor e a correspondência de Vincent com o pintor e a correspondência de Vincent com o pintor Émile Bernard prefaciadas pelo sobrinho Vincent Willen van Gogh (morto em 1974). Junto com o livro Cartas a Théo (Coleção L&PM Pocket, vol. 21), este livro, pela primeira vez publicado no Brasil, é um documento fundamental para a compreensão da vida e da obra tumultuada e torturada de Vincent van Gogh, esse incrível artista que vale tanto a pena conhecer!

Mr. Selfridge

Mr_Selfridge_bunner

Como várias séries (Netflix), Mr. Selfridge nos faz ter vontade de assistir todas as temporadas de uma vez! Felizmente já está na quarta temporada. A série de grande sucesso,  se passa em Londres, contando a saga do visionário americano Harry Gordon Selfridge (Jeremy Piven) que em 1909 inaugurou a primeira loja de departamentos que se tem registro em Londres.

Mr Selfridge Agnes inauguracao loja

Selfridge vitrine

Mr Selfridge vitrine natal

Além do arrojo da loja em si ele escolheu um local quase obscuro na época, numa extremidade da Oxford Street. Suas vitrines eram o ponto alto e ele vendeu de tudo ao longo da vida.Mr.Selfridge prestigio aviadores

Muitos tentaram desencorajá-lo justificando que as pessoas não comprariam roupas em lojas, pois sempre chamaram os alfaiates, as costureiras. De um começo quase fadado ao fracasso, Mr. Selfridge alcançou um sucesso enorme, sempre buscando os holofotes. Acima de tudo ele acreditava na publicidade. Sabia que a divulgação gerava a curiosidade e sabia também que oferecendo o que havia de melhor, com atendimento de primeira, o sucesso era garantido. Ele estava certo: o sucesso foi enorme e o transformou em um milionário.  Ficou tão rico que alugou, como casa de campo, um luxuoso castelo para a família, o Castelo Highcliffe em Christchurch em Hampshire, além da fabulosa Lansdowne para a residência na cidade.Mr. Selfridge Highcliffe-Castle

Nascido em Ripon Wisconsin nos Estados Unidos, ele deixou a escola com 14 anos e passou a entregar jornais para ajudar a mãe a criar os outros dois irmãos, já que o pai não voltou da Guerra Civil, abandonando por outra, a esposa e os filhos.

Mr Selfridge real

Harry Selfridge é verdadeira encarnação do homem que se fez sozinho e alcança o sucesso. Depois trabalhou em um banco e finalmente em uma loja em Chicago, onde ficou por 25 anos. Ele se casou com Rose Buckingham de uma família importante da cidade. Apesar de seu amor pela esposa ele teve notórios casos que em parte foram responsáveis por sua ruína ao final da vida.

Mr_Selfridge__Rose

Mr-Selfridge_amante

Mas, a série conta a história de sucesso desse visionário e de alguns personagens que envolventes que vão nos encantar. Como Agnes (Aisling Loftus) e o francês Henri que são responsáveis pelas maravilhosas vitrines e acabam se apaixonando.

Mr Selfridge Agnes et Laclair 1

Henri e Agnes Guerra

A Selfridge & Co tem cinco andares amplos, com um jardim na cobertura além de um restaurante refinado e muito frequentado. Isso também foi uma inovação porque a partir dessa criação, as mulheres podiam comprar suas roupas, cosméticos, acessórios e calmamente tomar um chá com as amigas ou almoçar com elas. Uma verdadeira emancipação para a época! Ainda hoje existem bares e restaurantes na loja Selfridge. E são lindos!

Restaurante Chalet Selfridge

Como um painel do início do Século XX, a série vai passar pela Primeira Guerra e seus impactos, contando também o início da criação dos Sindicatos e notadamente o empenho com que Harry Selfridge vai apoiar a emancipação das mulheres que, aliás, ele emprega maciçamente em sua loja.

Mr Selfridge e as mulheres na loja

Mr Selfriedge terceira temporada

Se você gosta de histórias baseadas em fatos reais, ambientação de época e  figurino maravilhoso, boas interpretações e um ritmo delicioso, assista! E depois vamos precisar ir até Londres para conferir porque a loja Selfridge existe até hoje e é uma referência na cidade!

Selfridge ATUAL

 

Há Momentos – Clarice Lispector

Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos sonhos
e abraçá-la.

Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que se quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes
não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem
em seus caminhos.
A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passam por suas vidas.

O futuro mais brilhante
é baseado num passado intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida
quando perdoar os erros
e as decepções do passado.

A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar
duram uma eternidade.

A Garota Dinamarquesa

A Garota Dinamarquesa_poster

O filme conta de maneira delicada a história real do conceituado pintor dinamarquês Einar Wegener, casado, que na década de 20 descobre que no seu íntimo ele é uma mulher. Contando assim parece simples, mas, claro, não é. O “descobrir” acontece quase por acaso. Sua esposa, a também pintora Gerda (Alicia Vikander – ótima no papel) pede a ele para usar meias de bailarina para um quadro que ela está pintando cuja dançarina vive atrasando.

Assim começa a descoberta ou a redescoberta de Einar Weneger, que começa a compor a sua Lili que aos poucos aniquila Einar, se tornando Lili Elbe.A garota Dinamarquesa_Gerda e LiliA transformação vai além de figurinos e maquiagem e é magistralmente interpretada por Eddie Redmayne, o ator que o ano passado levou o Oscar por A Teoria de tudo. Eu o vi em Os Pilares da Terra e já percebi que ele chegaria longe. Chegou! Acho que ficará por muito tempo ainda nesse time de sucesso que brilha em Hollywood, mas, esse ano o Oscar deve ir (merecidamente) para Di Caprio.A garota dinamarquesa_Lili Elbe

O importante é que o filme relata essa história real, daquele que foi provavelmente o primeiro homem a realizar uma cirurgia para mudança de sexo e até hoje é um mito, uma inspiração para muitos transgêneros.

Com música linda de Alexandre Desplat e fotografia impecável, direção de Tom Hopper o filme emociona, enternece e é narrado de maneira sensível e suave. Vale a pena assistir!

O Regresso – o ano de DiCaprio

Di Caprio BunnerIncrivelmente não foi com seu diretor mentor, Martin Scorsese que Leonardo DiCaprio talvez (certeza!) ganhe seu primeiro Oscar, após cinco indicações.Di Caprio Close sangueEsse é o filme em que ele menos fala, mas, suas expressões, o olhar e toda a filmagem, de extrema dureza física, fazem com que mereça sim o Oscar. Se ele não ganhar será uma injustiça imensa e prova de que a Academia é mesmo racista, além de praticamente não indicar negros, não dá o Oscar a atores bonitos! Mesmo que eles sejam competentes.Di Caprio regresso 4O diretor mexicano Alejandro González Iñárritu realizou um belo filme e o melhor, soube escolher o Diretor de fotografia. Ela é sublime e é personagem também.  O branco da neve parece ter luz própria. Trata-se de Emmanuel Lubezki que foi diretor de Birdman e fez parcerias com Terrence Malick, mais recentemente em A Árvore da Vida.O Regresso Di Caprio_neveApesar de ser considerado longo (156 minutos) o tempo corre e o drama é mesmo um filmaço. É um filme emocionante e saber que se baseia em uma história real é mais surpreendente ainda. Hugh Glass (DiCaprio) é uma espécie de guia para americanos que em 1820 caçam animais (peles) em uma região inóspita, montanhosa,  gelada e cheia de  índios violentos.

O clima do grupo já estava bem quente e cheio de animosidade porque Hugh tinha dado a orientação de esconderem as peles e se salvarem, o que carregando as peles seria impossível. Durante a retirada deles, fugindo dos índios, uma ursa ataca Hugh Glass e ele fica muito ferido. Com essa trama já daria um drama e tanto, mas, o pior ainda está por vir.

Di Caprio_caindaO importante é que Glass vai conseguir fazer “O Regresso” e essa volta será carregada de vingança, em especial contra um dos caçadores, Fitzgerald, vivido por um ótimo Tom Hardy.

O Regresso Tom HardyVeja que o filme não é só Di Caprio. Ele é sem dúvida um destaque e a alma do filme, mas, o todo vale muito a pena e assistir no cinema é especial. Aliás, esse filme tem que ser visto no cinema. Saia já à procura do que estiver mais perto. Você não vai se arrepender!