O Amante de Marguerite Duras

Marguerite Duras uma estudante num vestido de seda, com um chapéu de homem, vive no quente estremo de Saigon entre uma mãe neurótica, um irmão caçula frágil e um irmão mais velho viciado que só procura o mal. Um dia, um rico chinês, com uma limusine preta a aborda. E desta jovem adolescente ele fará uma mulher. Ele vai amá-la loucamente, e trêmulo de amor, estará sempre à mercê de um insulto. Ela o deseja e num quarto de Cholen, eles vivem um amor desesperado de desejo, atrás de persianas fechadas. Tudo os separa e nenhum futuro em comum é destinado a eles. O chinês é condenado a casar-se com uma mulher de sua linhagem, subjugado pelo poder paternal; a jovem sonha se tornar escritora e partir para a França. Das lembranças deste primeiro amor, Marguerite Duras escreveu um livro admirável, conciso (111 páginas), sensível, e de um amargo erotismo. O Amante recebeu o prêmio Goncourt em 1984 e foi levado ao cinema por Jean-Jacques Annaud, grande cineasta francês de outras obras primas (O Nome da Rosa, Sete anos no Tibet, etc.). Do livro, cuja linguagem é especialmente poética, este é o trecho que eu mais amo:

“Anos após a guerra, os casamentos, as crianças, os divórcios, os livros, ele veio a Paris com sua mulher. Ele telefonou para ela. Ela o reconheceu pela voz e disse: sou eu, bom dia. Ele estava intimidado, tinha medo  como antes, sua voz tremeu e, de repente, ela reconheceu o sotaque chinês. Ele sabia que ela tinha começado a escrever livros, soube pela mãe que encontrou em Saigon. E, também pelo irmão caçula, que estava triste por ela. E depois ele não soube mais o que dizer. E então, ele disse. Ele disse que era como antes, que ele ainda a amava, que ele jamais poderia deixar de amá-la, que ele a amaria até a sua morte.”

Se puder leia o livro. Ele é direto e vai envolver você mas, se não puder, assista o DVD de Jean-Jacques Arnnaud, que é ótimo e retrata exatamente a poesia de Marguerite Duras nesta linda história de amor e tudo isto, embalado por uma música e uma fotografia inigualáveis.

Tags:

4 Comentarios para “O Amante de Marguerite Duras”


  1. Heitor

    Cissa,

    Vim deixar registrado aqui que sempre estou acompanhando seu blog!!!

    Beijos!


  2. Beth

    Depois dessa descrição é impossível alguem nao precisar ver, ler e sentir imediatamente. Para os mais romanticos, então, vira urgência c/ prioridade máxima. La vou eu,

  3. Depois dessa descrição é impossível alguem nao precisar ver, ler e sentir imediatamente. Para os mais romanticos, então, vira urgência c/ prioridade máxima. La vou eu,


  4. Beta

    Esse livro é daqueles que eu nao empresto, não vendo nem dou!
    Amo esse livro… é uma delícia ler e reler… tem umas passagens maravilhosas… o filme então, as músicas… Bom, eu sou apaixonada por esta história!!!
    Tenho a trilha sonora, o DVD e até um Cd do Chopin, do qual utilizaram uma valsa, a Opus 69 nº 2… que toca no final do filme… maravilhoso, recomendo a todos!!!