Mundo sem Fim

Ken Follett tem uma imaginação sem limites. Isso é incontestável. Seus livros passam por tramas de espionagem como O buraco da Agulha ( de que gosto bastante) até romances históricos. Nessa linha, seu maior sucesso foi Os Pilares da Terra, maravilhosa história da construção de uma catedral no século XII.

A sequência, que se passa duzentos anos depois, é Mundo sem fim. Um verdadeiro panorama medieval descrito num livro que já vendeu mais de quatro milhões de exemplares e ficou seis meses entre os mais vendidos da lista do N.Y. Times  desde seu lançamento em 2007.

A adaptação do romance de mais de mil  páginas para uma série de televisão com oito horas é excepcional, conta o destino de quatro homens e quatro mulheres, reunidos por acaso na Inglaterra do século XIV em meio à tragédia da guerra com a França, que durará cem anos e a peste negra que dizimará uma enorme parte da população da Europa.

Com a morte (ou assassinato) do rei Edward II, sua esposa francesa vai coroar seu filho, manipulando a corte com o firme propósito de esconder um segredo que pode mudar o rumo da História.

Em um vilarejo imaginário – Kingsbridge – muitos personagens terão suas vidas ligadas para sempre.  Um monge inescrupuloso, amoral, vai cometer todos os pecados capitais. Ele mentirá, roubará e matará para alcançar seus objetivos.

Merthin e seu irmão Ralph perderão seu pai, a fortuna, a nobreza. Um sonha ser arquiteto, construir pontes, o outro quer recuperar sua fortuna e para isso venderá mesmo a alma.

Caris é quase perfeita mas a vida vai endurecê-la, de santa será acusada de bruxaria arriscando a morte na fogueira. Gwenda é o oposto, sofrida, fugitiva da vida, é vendida pelo pai para ser prostituta. Ela vai lutar, matar ou mesmo morrer para mudar seu destino.

 

Longas missões: construir uma catedral, uma ponte, reconstruir uma cidade, tudo isso leva muito tempo mas, a arte de Ken Follett e desta maravilhosa adaptação é isso: nós somos levados para esse mundo medieval, como se fosse o nosso mundo, vivemos todas as emoções desses personagens magistralmente construidos e quando acaba, o tempo foi pouco, e a sensação é quase de nostalgia, de vazio e de tristeza por perder um mundo sem fim. Era preciso mais, muito mais. Foram necessários dezenove anos entre os Pilares da Terra e Mundo sem Fim. Resta torcer para que exista uma nova saga e que ela aconteça muito em breve. Eu já estou esperando!!!!!

Tags:

Comentarios inativos.