DIVERSOS

Honfleur um charme na Normandia

sexta-feira, junho 2nd, 2017

Honfleur 1

Essa cidadezinha especial da França, situada na Normandia, distante duas horas de Paris, existe desde o século XI. O porto se tonou passagem obrigatória para as mercadorias vindas de Rouen que se destinavam à Inglaterra.

Honfleur le port

É um charme de cidade, marcada pelo fim do Rio Sena e o começo do Oceano.  Durante a Guerra de Cem anos, Honfleur ficou nas mãos dos ingleses por trinta e dois anos, o que explica algumas influências locais.

As pequenas ruas são muito interessantes, parecendo labirintos e esta é a rua e fachada da prisão.

Honfleur rue de la prision

A cidade foi berço de muitos pintores, dentre ele um dos maiores pintores Impressionistas, mais conhecido por ter sido o professor de Claude Monet – Eugène Boudin.

Eugene Bodin Honfleur

O ideal é andar pela cidade com calma, tomar um aperitivo local – o Calvados – e depois almoçar olhando o porto. Não vá embora antes do por do sol. A cidade se ilumina aos poucos e é um espetáculo lindo e inesquecível.

Honfleur Calvados

 

Honfleur_le bateau

HONFLEUR-VIEUX-BASSIN-NUIT

Auto estima não é vaidade

segunda-feira, abril 17th, 2017

 

Costumamos usar uma série de palavras com o intuito de descrever certas sensações de bem-estar e de prazer que buscamos insistentemente. Falamos em auto-estima, orgulho, amor-próprio, honra e vaidade sem nos darmos conta de que nem sempre correspondem ao mesmo processo íntimo. 
A auto-estima corresponde a uma sensação íntima de bem-estar relacionada com termos sido capazes de executar alguma tarefa à qual nos propusemos. Por exemplo, se decidirmos que iremos acordar todo dia às 6h para fazer uma hora de ginástica e, de fato, assim procedermos, o resultado será uma enorme satisfação interior. O mesmo vale para quem se propõe a estudar alguma coisa, perder peso, etc. O assunto é irrelevante. O que conta é a pessoa determinar para si uma tarefa e conseguir realiza-la.

Auto-estima tem a ver consigo mesmo. É estar feliz com o próprio desempenho.

A vaidade é totalmente diferente depende de observadores externos, pessoas que nos aplaudam e nos admirem. A gratificação da vaidade depende de sermos capazes de nos destacar.

A partir da adolescência, esse ingrediente da nossa sexualidade se tona muito importante. Se, durante a infância, queremos ser iguais aos nossos amiguinhos, a partir da puberdade, desejamos ser especiais e únicos para atrair os olhares que excitam.

Um rapaz, por exemplo, poderá ganhar um carro muito bonito e menos comum. Isso despertará olhares de admiração por parte das moças, além da inveja dos rapazes – o que sempre tem a ver com admiração. A vaidade do rapaz poderá se satisfazer muito com esses olhares e ele irá se sentir especial e importante dirigindo aquele carro. A vaidade estará gratificada e a auto-estima rebaixada, uma vez que intimamente ele sabe que os méritos não podem ser creditados a si mesmo e sim ao carro ou ao pai, que com seu esforço o comprou.

É evidente que existem condições nas quais a auto-estima e a vaidade caminham na mesma direção. Se eu escrevo este artigo e fico satisfeito com ele, minha auto-estima cresce. Ao ser publicado, se os leitores o aplaudirem, isso fará muito bem à minha vaidade. Nesse caso, o reconhecimento externo aumenta ainda mais a minha auto-estima. Porém, se não gostar do que escrevi, não haverá aplauso no mundo que irá me fazer bem de verdade.

A vaidade faz parte do nosso arsenal instintivo, de modo que jamais irá desaparecer de nossa psicologia. Não tenho nada contra este tipo de prazer, desde que as pessoas não se iludam e lhe atribuam uma importância indevida. O que interessa mesmo é a auto-estima, que depende de uma avaliação interna, na qual nós mesmos nos sentimos satisfeitos com nosso comportamento.

Vaidade depende apenas do mundo das aparências, ao passo que a auto-estima depende da nossa essência. E aqui não existe a possibilidade de engano, pois podemos iludir os outros, mas não a nós mesmos.

* Dr. Flávio Gikovate era médico psiquiatra, diretor do Instituto dePsicoterapia de São Paulo, autor de diversos livros, entre eles: Homem, o sexo frágil? Sexo e Amor para Jovens e Uma nova visão do Amor.

Wallander – ótima série na NetFlix

terça-feira, novembro 15th, 2016

Wallander - Poster inicio

Wallander é uma série britânica premiadíssima. Ganhou BAFTA de 2009 entre outros outros tantos prêmios ao longo do lançamento de suas temporadas, incluindo melhor série dramática da Academy Television Awards de 2015. 

O drama gira em torno do detetive Kurt Wallander, vivido pelo excepcional ator e diretor de cinema e teatro, Kenneth Branagh.

Kenneth Branath

A produção é impecável. Afinal é da BBC de Londres! Baseia-se nos romances de Henning Mankel que venderam mais de 25 milhões de livros.

Henning Mankell_Wallander

Cada episódio é autônomo e prende a atenção do início ao fim. São cenas chocantes, assassinatos quase perfeitos que desafiam o detetive e sua pequena equipe.Wallander_campo de colza

Wallander II

Repare na beleza dos locais, especialmente a pequena cidade portuária sueca, Ystad onde grande parte dos episódios foram filmados.

Wallander_cidadezinha

O mote são as investigações, mas, muitas histórias humanas se desenrolam em especial envolvendo a filha de Wallander e seu pai, um pintor estranho, que pinta sempre as mesmas paisagens e que está começando a sofrer de Alzheimer.

Wallander_parceiro

Wallander pai

A série já acabou e suas quatro temporadas estão no Netflix. Vale muito a pena assistir!

 

Mr. Selfridge

terça-feira, abril 19th, 2016

Mr_Selfridge_bunner

Como várias séries (Netflix), Mr. Selfridge nos faz ter vontade de assistir todas as temporadas de uma vez! Felizmente já está na quarta temporada. A série de grande sucesso,  se passa em Londres, contando a saga do visionário americano Harry Gordon Selfridge (Jeremy Piven) que em 1909 inaugurou a primeira loja de departamentos que se tem registro em Londres.

Mr Selfridge Agnes inauguracao loja

Selfridge vitrine

Mr Selfridge vitrine natal

Além do arrojo da loja em si ele escolheu um local quase obscuro na época, numa extremidade da Oxford Street. Suas vitrines eram o ponto alto e ele vendeu de tudo ao longo da vida.Mr.Selfridge prestigio aviadores

Muitos tentaram desencorajá-lo justificando que as pessoas não comprariam roupas em lojas, pois sempre chamaram os alfaiates, as costureiras. De um começo quase fadado ao fracasso, Mr. Selfridge alcançou um sucesso enorme, sempre buscando os holofotes. Acima de tudo ele acreditava na publicidade. Sabia que a divulgação gerava a curiosidade e sabia também que oferecendo o que havia de melhor, com atendimento de primeira, o sucesso era garantido. Ele estava certo: o sucesso foi enorme e o transformou em um milionário.  Ficou tão rico que alugou, como casa de campo, um luxuoso castelo para a família, o Castelo Highcliffe em Christchurch em Hampshire, além da fabulosa Lansdowne para a residência na cidade.Mr. Selfridge Highcliffe-Castle

Nascido em Ripon Wisconsin nos Estados Unidos, ele deixou a escola com 14 anos e passou a entregar jornais para ajudar a mãe a criar os outros dois irmãos, já que o pai não voltou da Guerra Civil, abandonando por outra, a esposa e os filhos.

Mr Selfridge real

Harry Selfridge é verdadeira encarnação do homem que se fez sozinho e alcança o sucesso. Depois trabalhou em um banco e finalmente em uma loja em Chicago, onde ficou por 25 anos. Ele se casou com Rose Buckingham de uma família importante da cidade. Apesar de seu amor pela esposa ele teve notórios casos que em parte foram responsáveis por sua ruína ao final da vida.

Mr_Selfridge__Rose

Mr-Selfridge_amante

Mas, a série conta a história de sucesso desse visionário e de alguns personagens que envolventes que vão nos encantar. Como Agnes (Aisling Loftus) e o francês Henri que são responsáveis pelas maravilhosas vitrines e acabam se apaixonando.

Mr Selfridge Agnes et Laclair 1

Henri e Agnes Guerra

A Selfridge & Co tem cinco andares amplos, com um jardim na cobertura além de um restaurante refinado e muito frequentado. Isso também foi uma inovação porque a partir dessa criação, as mulheres podiam comprar suas roupas, cosméticos, acessórios e calmamente tomar um chá com as amigas ou almoçar com elas. Uma verdadeira emancipação para a época! Ainda hoje existem bares e restaurantes na loja Selfridge. E são lindos!

Restaurante Chalet Selfridge

Como um painel do início do Século XX, a série vai passar pela Primeira Guerra e seus impactos, contando também o início da criação dos Sindicatos e notadamente o empenho com que Harry Selfridge vai apoiar a emancipação das mulheres que, aliás, ele emprega maciçamente em sua loja.

Mr Selfridge e as mulheres na loja

Mr Selfriedge terceira temporada

Se você gosta de histórias baseadas em fatos reais, ambientação de época e  figurino maravilhoso, boas interpretações e um ritmo delicioso, assista! E depois vamos precisar ir até Londres para conferir porque a loja Selfridge existe até hoje e é uma referência na cidade!

Selfridge ATUAL

 

A Garota Dinamarquesa

quinta-feira, março 24th, 2016

A Garota Dinamarquesa_poster

O filme conta de maneira delicada a história real do conceituado pintor dinamarquês Einar Wegener, casado, que na década de 20 descobre que no seu íntimo ele é uma mulher. Contando assim parece simples, mas, claro, não é. O “descobrir” acontece quase por acaso. Sua esposa, a também pintora Gerda (Alicia Vikander – ótima no papel) pede a ele para usar meias de bailarina para um quadro que ela está pintando cuja dançarina vive atrasando.

Assim começa a descoberta ou a redescoberta de Einar Weneger, que começa a compor a sua Lili que aos poucos aniquila Einar, se tornando Lili Elbe.A garota Dinamarquesa_Gerda e LiliA transformação vai além de figurinos e maquiagem e é magistralmente interpretada por Eddie Redmayne, o ator que o ano passado levou o Oscar por A Teoria de tudo. Eu o vi em Os Pilares da Terra e já percebi que ele chegaria longe. Chegou! Acho que ficará por muito tempo ainda nesse time de sucesso que brilha em Hollywood, mas, esse ano o Oscar deve ir (merecidamente) para Di Caprio.A garota dinamarquesa_Lili Elbe

O importante é que o filme relata essa história real, daquele que foi provavelmente o primeiro homem a realizar uma cirurgia para mudança de sexo e até hoje é um mito, uma inspiração para muitos transgêneros.

Com música linda de Alexandre Desplat e fotografia impecável, direção de Tom Hopper o filme emociona, enternece e é narrado de maneira sensível e suave. Vale a pena assistir!

O Regresso – o ano de DiCaprio

terça-feira, março 22nd, 2016

Di Caprio BunnerIncrivelmente não foi com seu diretor mentor, Martin Scorsese que Leonardo DiCaprio talvez (certeza!) ganhe seu primeiro Oscar, após cinco indicações.Di Caprio Close sangueEsse é o filme em que ele menos fala, mas, suas expressões, o olhar e toda a filmagem, de extrema dureza física, fazem com que mereça sim o Oscar. Se ele não ganhar será uma injustiça imensa e prova de que a Academia é mesmo racista, além de praticamente não indicar negros, não dá o Oscar a atores bonitos! Mesmo que eles sejam competentes.Di Caprio regresso 4O diretor mexicano Alejandro González Iñárritu realizou um belo filme e o melhor, soube escolher o Diretor de fotografia. Ela é sublime e é personagem também.  O branco da neve parece ter luz própria. Trata-se de Emmanuel Lubezki que foi diretor de Birdman e fez parcerias com Terrence Malick, mais recentemente em A Árvore da Vida.O Regresso Di Caprio_neveApesar de ser considerado longo (156 minutos) o tempo corre e o drama é mesmo um filmaço. É um filme emocionante e saber que se baseia em uma história real é mais surpreendente ainda. Hugh Glass (DiCaprio) é uma espécie de guia para americanos que em 1820 caçam animais (peles) em uma região inóspita, montanhosa,  gelada e cheia de  índios violentos.

O clima do grupo já estava bem quente e cheio de animosidade porque Hugh tinha dado a orientação de esconderem as peles e se salvarem, o que carregando as peles seria impossível. Durante a retirada deles, fugindo dos índios, uma ursa ataca Hugh Glass e ele fica muito ferido. Com essa trama já daria um drama e tanto, mas, o pior ainda está por vir.

Di Caprio_caindaO importante é que Glass vai conseguir fazer “O Regresso” e essa volta será carregada de vingança, em especial contra um dos caçadores, Fitzgerald, vivido por um ótimo Tom Hardy.

O Regresso Tom HardyVeja que o filme não é só Di Caprio. Ele é sem dúvida um destaque e a alma do filme, mas, o todo vale muito a pena e assistir no cinema é especial. Aliás, esse filme tem que ser visto no cinema. Saia já à procura do que estiver mais perto. Você não vai se arrepender!

Giotto – Pádua e o Mundo

segunda-feira, março 21st, 2016

 

Giotto Catedral Assisi

Assisis_Basilica_superiore-3

Giotto foi um inovador. Nasceu em Colle Vespugnano em 1266 e morreu em Florença em 1337. Viveu num tempo em que inovações não eram muito bem vindas. Ele é o precursor do Renascentismo, um elo que introduziu a perspectiva na pintura, transformando ainda os santos tão irreais em seres humanos, seres de aparência comum.

Giotto_Legenda de S Fco 4-2

Giorgio Vasari, o grande historiador da Renascença conta que Giotto começou a desenhar ainda menino e com 12 anos, enquanto cuidada das ovelhas, fazia muitos desenhos nas rochas. O maravilhoso Cimabue, um dos maiores pintores da Toscana viu seus desenhos e pediu a seu pai para levar Giotto como aprendiz. Conta a lenda que Giotto pintou uma mosca no nariz de uma figura com tanta habilidade que o mestre afugentou o inseto várias vezes, antes de perceber que se tratava de uma pintura.

Em 1280 Giotto acompanhou Cimabue a Roma, até uma escola de afrescos. O pintor Arnolfo di Cambio, que estava em Roma, foi fonte de inspiração para os afrescos de Giotto.

Giotto_legenda de S Fco 1-2

Algumas de suas obras com volume e quase tridimensionais marcaram vários séculos, por toda a Europa.

Giotto_legenda de S Fco 2-2

Não é provado mas diversos especialistas dão como certo que Giotto se encaminhou para Assisi quando saiu de Roma e lá realizou os maravilhosos afrescos da Basília de São Francisco de Assis. Visitei essa Basília 2 vezes. Depois fui a Pádova (Pádua) e não acho que possa haver dúvidas. Os afrescos são de Giotto. Seu azul e seu traço são inconfundíveis.

Giotto Azul_original

Em Assisi o altar com a saga de São Francisco de Assis é comovente, mas em Pádua na Capela Scovegni sua pintura é mais madura, já é mais forte, mais poderosa, mas, em ambas, o traço é de um mestre.

Capela Scrovegni

Nesses afrescos Giotto quebrou todas as tradições de cenas medievais. A cena da morte de Cristo é até hoje motivo de admiração. Admiração que levou Michelangelo a se inspirar nessa obra para a pintura da Capela Sistina.

Giotto Padova visao igreja (2)

Giotto Scrovegni_Padova

Na porção da parede dominada pelo Julgamento Final, um dos mais famosos é a Adoração dos Magos, onde aparece uma estrela de Belém semelhante a um cometa. Teria sido a visão em 1301 do Cometa Halley no céu italiano que teria influenciado Giotto ao criar sua estrela.

Giotto Julgamento Final_Padova

Naquela época o registro da vida e da obra dos pintores não era comum mas, seguindo os traços de Giotto, os historiadores determinam que em 1287, aos 20 anos, Giotto se casou e foi para Roma depois para Assisi e Pádua, após o que seguiu para Rimini, onde um Crucifixo no Templo Maltestiano confirma sua presença no local.

Giotto_Cristoretirado da cruz

Giotto_di_Bondone_Scrovegni

Depois de Rimini, Giotto deve ter ido a Nápoles onde ficou até 1333 e realizou diversos afrescos, sem que contudo seja possível precisar sua autoria, exceto a Multiplicação dos pães e peixes que existe em uma sala do Convento de Santa Clara.

Em Nápoles, ele retornou a Florença e lá foi contratado como arquiteto, dessa vez, responsável pela construção da Catedral de Florença – Duomo – uma verdadeira obra de arte. Ele é que cuidava pessoalmente do canteiro de obras, em especial do Campanário, que popularmente se chama “Campanário de Giotto”. Com 84 metros de altura, decorado em mármore coloridas, em especial rosa, com baixos relevos de estátuas, com incrustações de mármore. É uma das mais belas obras de detalhes de todo o período gótico italiano. Infelizmente ele morreu sem ver o fim dessa maravilha, que hoje, junto com a Duomo é um dos principais pontos turísticos de Florença.

F

F

F

G

Como retribuição, Florença rendeu uma justa homenagem a Giotto. Quando ele morreu (8 de janeiro de 1337) seu enterro foi realizado com grande pompa e ele foi enterrado na Duomo, a sua amada Catedral.

Duomo lateral

Dele, Boccace escreveu em seu famoso livro Decameron:

“Ele possuía um gênio poderoso, que a natureza, mãe e criadora de todas as coisas, não produzia nada sob as eternas evoluções celestes, como ele foi capaz de reproduzir com sua pena ou seu pincel: reprodução perfeita que, para os olhos, não era mais que uma cópia, mas o modelo ele mesmo. Muito frequentemente suas obras enganaram o senso visual e tornaram realidade o que era uma pintura”.

Se puder, visite os lugares que Giotto pintou, seu Campanário, a Duomo e confira: alguém algum dia pintou um azul assim?

Nick Vujicic, exemplo de uma vida sem limites

sábado, outubro 24th, 2015

Nick Vujicic nasceu em 1982 com uma doença rara: Tetra-Amélia. Uma síndrome humana muito rara, que se origina de uma falha na formação embrionária que acarreta a falta dos quatro membros.

Hoje realiza palestras no mundo todo, incluindo o Brasil. Abaixo reproduzo uma reportagem publicada na Revista Saber (do Laboratório Sergio Franco).

Recentemente, depois de dar uma palestra em uma escola onde um aluno havia cometido suicídio não fazia muito tempo, o australiano Nick Vujicic recebeu uma carta de um estudante. Nela, o jovem confessava que já havia preparado um bilhete de despedida para os pais e colegas e que pretendia se matar justamente no dia da palestra de Nick. Mas, após escutar a palestra ele mudou de ideia e em sua carta afirma que “sua palestra mudou a minha vida”.

Em sua palestra Nick afirmou que “foi muito difícil aceitar minha limitações. Quando eu tinha 8 anos, pensei em cometer suicídio, porque achei que não havia esperança. Acreditava que nunca arranjaria um emprego, que sempre seria dependente dos meus pais, que sempre sofreria bullying e seria provocado, e quando tinha 10 anos tentei suicídio. Tentei me afogar na banheira. Com o auxílio dos pais, porém, Nick superou suas limitações e ganhou confiança na escola, destacando-se em matemática, aprendendo a digitar no computador com o pé – “digito 43 palavras por minuto”, orgulha-se Nick – e dando mais valor às coisas que podia fazer do que às que não podia. Se antes sua revolta não o permitia acreditar em Deus, aos 15 anos sua atitude mudou. “Eu rezei por braços e pernas, mas disse: “Deus, se não me der braços e pernas, mude meu coração e me use. Se tem um plano, coloque-o em ação, porque eu não tenho nenhum plano”. Foi quando ele veio até meu coração e me deu paz. Mais que braços e pernas, quero paz. Mais que braços e pernas, quero objetivo na vida.”

Aos 19 anos Nick deu sua primeira palestra motivacional. Alertando contra o bullying em um colégio. Sua fama logo se espalhou de forma viral e ele passou a ser chamado por várias instituições para contar sobre sua experiência de vida. Somente em 2013 esteve em 26 países para fazer sua já mundialmente famosa palestra e ainda encontrou-se com sete presidentes.

Nick Vujicic escrevendo

Ao se relacionar com as pessoas mais poderosas do planeta, Nick dá passos importantes para colocar em prática seu maior sonho: criar uma rede global que envolva pelo menos 400 milhões de pessoas doando dez dólares por mês para acabar com a fome no mundo. Para quem nasceu com grandes limitações físicas e achou que nunca poderia fazer nada na vida por causa disso e hoje nada, surfa, salta de paraquedas, joga golfe, escreve livros, é casado e tem um filho, parece que não existem limites no que pode realizar.”

Nick Vujicic_2

Conheça seus livros: Uma vida sem limites e Inspiração para uma vida absurdamente boa e indomável, e sua página no Facebook: www.facebook.com/NickVujicic

Encontros: Viagens inusitadas

sexta-feira, outubro 2nd, 2015

Chego no aeroporto, como sempre, já um pouco atrasada.  Desta vez não faz mal: os vôos estão mais atrasados do que eu!

Longa espera, longos papos. Uma moça ao lado, ainda jovem, com mochila na mão, puxa papo. Seus amigos também estão viajando mas, um vai pela Espanha, o outro por Portugal e ela por Paris. Claro, pergunto para onde estão indo. A resposta simples, como se fosse a coisa mais comum do mundo, estamos indo para os Países Bálticos, ver a Aurora Boreal.

Para não parecer uma alienada, fiz de conta que era normal. Só me atrevi a perguntar:

E, quando vocês voltam?

Daqui a uma semana. No total serão dez dias de viagem porque perderemos 3 a quatro dias, depende da sorte.

Nem comecei a tentar lembrar nada dos Bálticos e de Aurora Boreal porque eu sabia que não sabia. Por sorte ela me explicou: o lugar no mundo onde melhor se pode ver a Aurora Boreal são os Bálticos. A previsão era que eles iriam até a Lapônia ( isso mesmo a terra do Papai Noel), e não estive bom, passariam pela Lituânia ou mesmo no extremo norte da Noruega, num vilarejo chamado Finnmark. A curiosidade era tanta que eu não resisti e perguntei se a Aurora Boreal era mais ou menos como um arco Iris. Lógico que não! É uma dança de luzes, quase como se algumas velas estivessem acesas no Céu. Então pergunto: – E se não aparecer? Ela me explica que é a natureza que rege as forças da Aurora Boreal e que eles tinham pesquisado muito e estava previsto que ela estaria mais visível naquela semana.

E como esses amigos, jovens e tão aventureiros escolhiam viagens assim? Simples: eles se reúnem pelo menos uma vez por mês em um bar. Bebem, jogam conversa fora. Lá pelas tantas alguém lembra que tem X Milhas e ai, soma daqui e dali, o que der eles dividem e o que falta já entram nos sites e começam a achar melhores preços. Dai é uma agonia para as férias de todo mundo darem certo. Se não derem, alguém larga o  emprego e dane-se! Empregos existem muitos. Ver a Aurora Boreal não.

Adorei essa turma mesmo conhecendo só uma representante deles. Gente que sabe viver a vida!

Sábias palavras – Dr. Dráuzio Varella

segunda-feira, agosto 10th, 2015

Se não quiser adoecer – “Fale de seus sentimentos”

Emoções e sentimentos que são escondidos, reprimidos, acabam em doenças como: gastrite, úlcera, dores lombares, dor na coluna. Com o tempo a repressão dos sentimentos degenera até em câncer. Então vamos desabafar, confidenciar, partilhar nossa intimidade, nossos segredos, nossos pecados. O diálogo, a fala, a palavra, é um poderoso remédio e excelente terapia.

Se não quiser adoecer – “Tome decisão” A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade, na angústia. A indecisão acumula problemas, preocupações, agressões. A história humana é feita de decisões. Para decidir é preciso saber renunciar, saber perder vantagem e valores para ganhar outros. As pessoas indecisas são vítimas de doenças nervosas, gástricas e problemas de pele.

Se não quiser adoecer – “Busque soluções” Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas. Preferem a lamentação, a murmuração, o pessimismo. Melhor é acender o fósforo que lamentar a escuridão. Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. Somos o que pensamos. O pensamento negativo gera energia negativa que se transforma em doença.

Se não quiser adoecer – “Não viva de aparências” Quem esconde a realidade finge, faz pose, quer sempre dar a impressão que está bem, quer mostrar-se perfeito, bonzinho etc., está acumulando toneladas de peso… uma estátua de bronze, mas com pés de barro. Nada pior para a saúde que viver de aparências e fachadas. São pessoas com muito verniz e pouca raiz. Seu destino é a farmácia, o hospital, a dor.

Se não quiser adoecer – “Aceite-se” A rejeição de si próprio, a ausência de auto-estima, faz com que sejamos algozes de nós mesmos. Ser eu mesmo é o núcleo de uma vida saudável. Os que não se aceitam são invejosos, ciumentos, imitadores, competitivos, destruidores. Aceitar-se, aceitar ser aceito, aceitar as críticas, é sabedoria, bom senso e terapia.

Se não quiser adoecer – “Confie” Quem não confia não se comunica, não se abre, não se relaciona, não cria liames profundos, não sabe fazer amizades verdadeiras. Sem confiança, não há relacionamento. A desconfiança é falta de fé em si, nos outros e em Deus.

Se não quiser adoecer – “Não viva SEMPRE triste!” O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem vida longa. A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive.  “O bom humor nos salva das mãos do doutor”. Alegria é saúde e terapia.

Dr. Dráuzio Varela (www.drauziovarella.com.br)